ABCCC - Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos

Colibri Matrero faz história e se consagra como bicampeão no Freio de Ouro 2021

03 DE OUTUBRO DE 2021 - ATUALIZADA EM 03 DE OUTUBRO DE 2021 | Redator: Redação ABCCC

Um feito que ainda é para poucos voltou a ser celebrado na pista do Parque Assis Brasil, em Esteio/RS, neste domingo (3) carregado de emoção e no qual a raça Crioula se despediu da temporada com placas pretas levantadas por quem acompanha essa seleção máxima do Cavalo Crioulo. Em uma decisão em que os resultados mostraram o equilíbrio entre os animais estreantes e aqueles que já traziam história na modalidade, uma marca ainda inédita foi conquistada por Colibri Matrero, cavalo que se consagra como bicampeão do Freio de Ouro (o segundo da história da prova) apenas um ano após o seu primeiro título, feito que ainda não havia sido alcançado por aqueles que optaram pela defesa de título. De outro lado, uma das éguas mais jovens da disputa, Belle Mandala, superou a acirrada disputa entre as fêmeas e comprovou mais uma vez a força dos exemplares que se destacam no Bocal de Ouro, lá no início do ciclo.

 

A aposta de retornar à pista com o campeão de 2020 não poderia ser mais certeira para a Cabanha La Pacífica, localizada no Uruguai. Exibindo novamente a sua conhecida potência na execução das provas, Colibri Matrero conquistou o bicampeonato do Freio de Ouro, o segundo da história da modalidade (o primeiro foi de JA Libertador, com vitórias em 2015 e 2018), mas com um diferencial inédito, já que foi conquistado em dois anos na sequência (2020 e 2021), sendo a primeira defesa de título a se concretizar. A honraria entra na coleção de títulos do tostado filho de Del Oeste Acierto e Colibri Matrera, que também conta com um Freio de Ouro FICCC e um prêmio de Freio de Bronze, ambos conquistados em 2018. 

 

Na montaria do cavalo multipremiado, quem repetiu a volta olímpica foi o ginete que acompanhou o vencedor em toda a sua trajetória: Gabriel Viola Marty. O que fica é o agradecimento ao “parceiro” de provas: “É um momento que eu só tenho uma palavra a dizer, que ‘Obrigado’ ao Matrero”, registrou o ginete Freio de Ouro. O conjunto que se mantinha desde o início das etapas próximo do topo das parciais, assumiu a liderança a partir da etapa de Mangueira I, não saindo mais de lá e fechando a sua passagem na disputa com a média final de 21,841 - mais de um ponto e meio de vantagem em relação ao segundo colocado.



>>> Clique e confira a planilha final do Freio de Ouro 2021 da categoria Machos

 

Fechando o ciclo 2021 com 20.634 de média final, Belle Mandala, uma das éguas mais jovens da disputa (box 06), garantiu na sua primeira participação no Freio de Ouro um dos títulos mais cobiçados do universo crioulista. A colorada criada e exposta pela Fazenda Paraíso, de Balsa Nova/PR, assumiu a liderança após mostrar sua habilidade funcional no segundo dia de provas e, desde então, manteve a regularidade no desempenho - característica sempre buscada na competição. A disputa acirrada entre as primeiras posições na categoria Fêmeas foi decidida no detalhe: com 0.019 pontos de diferença após a etapa de Bayard/Sarmento, a grande vencedora ultrapassou RZ Madeja II da Carapuça na última prova da Final. 

Na consagração da vitória imediatamente após a última corrida da prova de Campo II, Daniel Wairich Marim Teixeira, ginete que conduziu Belle Mandala durante esta Final, não conseguiu conter as lágrimas ao correr a volta olímpica ao lado de Lindor Colares Luiz, amigo que fez a corrida de vaca no seu lugar. Responsável pelas duas éguas do topo do ranking, Daniel correu Campo II com RZ Madeja II da Carapuça e, com ela, garantiu também o Freio de Prata. Falando à ABCCC, o que Daniel demonstrou foi gratidão. “Tenho que agradecer a todo mundo, ao que Deus me proporciona... Meus amigos, meu irmão”, disse com a voz embargada, apertando a mão do amigo. Sobre o grande vencedor, Lindor Colares disse estar “emocionado pelo trabalho dele, por poder dividir essa pista com ele”. E ainda: “É uma honra enorme estar do lado desse craque”.  

 

>>> Clique e confira a planilha final do Freio de Ouro 2021 da categoria Fêmeas



Transmissão ao vivo nos canais digitais e na TV

Em um ano ainda marcado pela manutenção de medidas preventivas contra a Covid-19, que demandou a restrição do público nas arquibancadas, a audiência das transmissões ao vivo da Final do Freio de Ouro 2021 somou mais de 380 mil visualizações entre os canais oficiais da ABCCC no YouTube e no Facebook. Esta final também contou com o retorno das transmissões nos canais televisivos, trazendo todos os detalhes com a apresentação da jornalista Estela Facchin e dos técnicos credenciados à ABCCC Felipe Caccia Maciel e Daniel Rossato Costa, que comentaram todos os lances das etapas, a reportagem em pista teve o apoio de Leôncio Severo.

 

Destaques são reverenciados no pódio

Em uma celebração calorosa e em clima festivo, o pódio da Final do Freio de Ouro também reverenciou o ginete e o exemplar com as melhores médias funcionais do ciclo 2021. Disputando as etapas do Freio de Ouro desde os 14 anos de idade, Daniel Teixeira voltou ao centro da pista para receber o título de Ginete do Ano. Ele também foi o ginete com o maior número de animais admitidos para a final (8). Logo após, levando o troféu de Melhor Craque Funcional, o uruguaio Colibri Matrero também foi reverenciado pelo público crioulista.

 

A Final 2021

Em cinco dias de disputa, 82 animais (39 fêmeas e 43 machos) pisaram na arena de provas do Cavalo Crioulo em Esteio, passando pelo olhar criterioso dos dois trios de jurados que atuaram na seleção dos vencedores. Ciro Manoel Canto de Freitas, Manoel Vanderlei Braz Gonçalves e Telmo Raimundi Ferreira foram os responsáveis pelas notas da categoria Fêmeas, enquanto Luís Rodolfo Machado, Telmo de Oliveira Peixoto e Thiago Schilling de Ávila ficaram com o julgamento da categoria Machos. Já a supervisão técnico do evento foi de Luciano Corrêa Passos. 

 

 

CONFIRA O RESULTADO:

 

CATEGORIA FÊMEAS

 

FREIO DE OURO

BELLE MANDALA

BOX 06 - COLORADA, POR AS MALKE SEDUTOR-TE(B269661) (PAI) E BELLE AVELÃ(B201231) (MÃE)

CRIADOR: ELIZABETH LEMANSKI

EXPOSITOR: ELIZABETH LEMANSKI

ESTABELECIMENTO: FAZENDA PARAÍSO, BALSA NOVA-PR

GINETE: DANIEL WAIHRICH MARIM TEIXEIRA

Média: 20.634

 

FREIO DE PRATA

RZ MADEJA II DA CARAPUÇA

BOX 01 - BAIA RUANA, POR DICHOSO CALA BASSA(B375791) (PAI) E RZ VAGABUNDA DA CARAPUÇA(B280514) (MÃE)

CRIADOR: RUBENS ELIAS ZOGBI 

EXPOSITOR: MARCELO FARIAS DA SILVA 

ESTABELECIMENTO: CABANHA TREZE TÍLIAS, SERTÃO SANTANA-RS 

GINETE: DANIEL WAIHRICH MARIM TEIXEIRA 

Média: 20.559